Uncanny Places

VIRGÍLIO FERREIRA | PORTUGAL

FOTOGRAFIA
4 – 11 DEZ / DEC | TERÇA A SÁBADO (Encerrado: Domingo, Segunda) / TUESDAY through SATURDAY (Closed: Sunday, Monday) | 15h às 20h / 3 p.m. – 8 p.m.
MÓDULO – CENTRO DIFUSOR DE ARTE

.
Uncanny Places é um projecto que assenta na ambiguidade expressiva de certas imagens.
No diálogo entre mim e o mundo exterior, está presente como motor um questionamento sobre a complexidade do mundo. E é a partir de  pólos opostos,  magia e lógica, natural e artificial, racionalidade e irracionalidade  que eu pretendo trabalhar. Considero que algumas destas imagens parecem estabelecer uma relação com uma espécie de arquivo obscuro das nossas memórias inconscientes.
Uncanny Places potencia distintas trajectórias que inter-relacionam acções práticas e simbólicas, que podem ter uma pluralidade de matrizes e de significantes, – espanto, medo, memória, ilusão, mito, fantasia… – e que visualmente procuro criar. É de uma forma aleatória mas intuitiva que, desprovido de bússola, percorro lugares aparentemente comuns; esta deliberada desorientação a que me submeto potencia encontros com momentos de serendipidade. Deste modo, num espaço muito curto de tempo efectuo uma dupla exposição na mesma imagem, do mesmo acontecimento. Intencionalmente isto cria uma noção de continuidade entre o aqui e o ali, onde dois tempos se sobrepõem no mesmo lugar. A presença dessas duas camadas físicas e temporais na mesma imagem diluem-se em luzes diáfanas e atmosferas etéreas, este efeito contraria o habitual fluxo da percepção.
Iniciei este projecto em 2007 e tenho vindo a desenvolvê-lo em algumas cidades na Europa, Estados Unidos, China e Rússia. Com vista a um trabalho rigoroso e sem recorrer a qualquer manipulação digital, as fotografias foram realizadas em médio formato com uso de colour reversal film, o processo analógico acresce ao mistério destas imagens.
Uncanny Places is a project rooted in the expressive ambiguity of some images. In the dialogue between me and the external world, as an engine, a questioning process about world’s complexity is present. It’s from the opposite poles, magic and logic, natural and artificial, rationality and irrationality that I want to work on. I consider some of these images look like establishing a relationship with a sort of dark archive of our unconscious  memories
Uncanny Places’ potential is interrelating different trajectories and practical and symbolic actions, which can have a plurality of matrices and significances, – astonishment, fear, memory, illusion, myth, fantasy… –   and which I want to search for visually. It’s trough a random way,  more intuitive, that, without a compass, I walk in apparently common places; this deliberate disorientation I submit myself  to,  enhances the meetings together with serendipity moments.  In this way, in a very short-term time space a double exposition of the image and of the same happening take place. Intentionally this creates a continuity notion between here and there, where two different times lay one upon the other in the same place.  The presence of these two physical layers dilute themselves in diaphanous lights and ethereal atmospheres, this effect thwarts the usual flux of perception.
I started this project in 2007 and I exhibited it in different cities in Europe, USA, China and Russia. Looking at a rigorous work without resorting to any digital manipulation, the pictures had been realized in medium format with the use of colour reversal film, the analogical process lets the mystery of these images arising.
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

.VIRGÍLIO FERREIRA
www.virgilioferreira.com

Porto, 1970.
Considera-se um fotógrafo que recusa o uso da manipulação digital da imagem. O seu processo de trabalho assenta fundamentalmente em investigação directa e empírica. Há pois nas suas fotografias um processo permanente de interpretar a realidade, ficcionando-a. Vê a sua participação na imagem, não como uma ilusão mas como uma forma de lhe dar a aparência que ecoa como associação no seu imaginário. Provavelmente é precisamente essa aparência da realidade que explora cada vez mais nas suas imagens, cartografando e documentando o quotidiano urbano como lugar de objectos e de pessoas, de passagem e de permanência, de ligação entre um tempo histórico e um tempo individual.
O seu trabalho conhece vasta difusão pela Europa, Médio Oriente, Estados Unidos da América e Sudoeste Asiático. Desde 1993, ano em que se estreia em colectivas e individualmente, expõe regularmente em numerosos festivais, museus e encontros, consagrando-se enquanto fotógrafo e assumindo um papel preponderante na criação fotográfica contemporânea.
Desde 1998 tem vindo a  publicar em forma de livro  os projectos que realiza. De entre as diversas publicações editadas, destacam-se três monografias: 2008, Daily Pilgrims, edição de autor; 2003 Nós e os outros, edição Centro Português de Fotografia; 2002 Rainbow, Colecção Arte Contemporânea Portuguesa, edição Mimesis. É igualmente de salientar a periodicidade, ao longo dos últimos três anos, com que participa em publicações internacionais, revistas, Photo-Art Blogs e webzines.
Representado em várias colecções Públicas e Privadas, incluindo Hahnemuhle Anniversary Collection, Alemanha; the Southeast Museum of Photography, USA; Colecção Nacional de Fotografia, CPF/MC; Lodz Art Center, Polónia e Universidade de Coimbra.
_
Oporto, 1970.
He considers himself a photographer that neglects digital manipulation. His work process is fundamentally based on empiric and direct investigation. He ceaselessly interprets reality and, by photographing, turns it into fiction. His role at composing an image is to gift it with the truth appearance by which it resounds in his imaginary. Hence, this personalized rendered reality appearance is what he most pursues to explore, documenting urban daily routines as the prime scenery of people, objects, passage and permanence merger and of linking between historical presence and individual existence.
His work has been widely spread through Europe, Middle East, United States, and South-East Asia. Between 1993, year when he first started exhibiting both collectively and individually and 2010, he participated in numerous photography festivals, meetings and exhibitions, definitely establishing himself as a significant creator in today’s photography contemporary production.
He has regularly published his projects in book. Among these, three monographs should be highlighted: 2008,Daily Pilgrims, author’s edition; 2003, We and the others, published by Portuguese Centre of Photography; 2002, Rainbow published by Mimesis. His work has also been in the last three years regularly focused by international magazines, Photo Art Blogs and webzines.
Virgílio’s work is held in public collections including the Hahnemuhle Anniversary Collection, Germany ; the Southeast Museum of Photography, USA; the National Collection of Photography, Portugal; Lodz Art Center, Poland and the University of Coimbra, Portugal.


Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s